Comece a produzir conteúdo de tecnologia com essas 10 dicas

Comece a produzir conteúdo de tecnologia com essas 10 dicas

A adoção do marketing de conteúdo pelas empresas de Tecnologia vem crescendo a cada ano. Segundo a terceira edição da pesquisa Martech 2017 já chega a 75% das 1.108 entrevistadas o percentual das que afirmaram que adotam alguma prática do tipo. Em 2016 o percentual era de 73% e em 2015 de 70%.

Se sua companhia ainda não faz parte dessa estatística ou não utiliza os conteúdos de forma correta e a seu favor saiba que está ficando para trás! Quem põe em prática esse tipo de ação tem quase 3 vezes mais visitas ao site e 3,3 vezes mais leads em comparação às que não a usam.

O segredo para gerar conteúdo de relevância, gerando leads qualificados que realmente se interessem pelo seu produto ou serviço é o planejamento. Pense em quem vai consumir a informação e não escreva sobre tecnologia, mas sim sobre como a sua empresa ajuda a transformar o negócio dos seus clientes.

Como você percebeu, não é tão simples quanto parece. Mas não se preocupe! Nesse post a Motor de Conteúdo vai contribuir com informações e dicas valiosas que ajudarão entender a importância de produzir conteúdo atrativo e relevante para que sua empresa se torne referência no segmento em que atua.

Confira!

# Por que adotar o Marketing de Conteúdo?

O marketing de conteúdo é o coração das ações de marketing. Quando se trata de aumentar a visibilidade da marca, conectar-se com seu público-alvo, criar confiança e mostrar sua autoridade, não há método mais poderoso.

Ele utiliza uma abordagem focada na criação e distribuição de conteúdo valioso, relevante e consistente para atrair e reter um público-alvo claramente definido. O marketing de conteúdo é capaz de posicionar a marca no mercado, por meio do conteúdo online, como forma de atrair e reter clientes.  

Tudo isso sem invadir o espaço pessoal do seu público. A partir de uma estratégia seus materiais são disponibilizados em locais estratégicos para que as pessoas possam acessá-los quando realmente precisarem.

Os custos são bem menores: 62% mais barato que o marketing tradicional. A confiança adquirida é mais estreita 70% dos consumidores sentem uma conexão mais próxima com a marca – resultado do oferecimento de conteúdo personalizado.

# Qual a diferença dos conteúdos sobre tecnologia?

A tecnologia é um assunto complicado mesmo para quem tem afinidade. Essa verdade que você já conhece bem também é aplicada ao comportamento do seu cliente. Ele busca materiais que o ajudem a traduzir e simplificar os desafios vividos na empresa, e não que apenas tratem de conceitos técnicos.

E é essa a diferença na produção de um conteúdo de tecnologia. Os assuntos que você abordar precisam ser focados na solução de problemas, com linguagem simples e sem tecniquês.

O papel do marketing de conteúdo é exatamente entregar o que o seu cliente quer ler: informações que tragam valor e ganhos à realidade vivida por ele. A audiência pode ainda não estar pronta para comprar, mas se o seu conteúdo for útil e conseguir ajudar, no futuro as chances de fazer negócio serão muito maiores.

Um conteúdo voltado para o fomento de um relacionamento ajuda sua empresa a se tornar referência no assunto em seu segmento. O resultado final, sem dúvida, são leads realmente qualificados!

# Como gerar conteúdo de tecnologia?

Bom, a essa altura você já entendeu a importância que o marketing de conteúdo tem para atrair novos clientes e ajudar sua empresa a se diferenciar da concorrência. E que os materiais precisam ser diferenciados focando as necessidades do mercado.

Mas aí vem a pergunta principal: por onde começar?

Em especial no segmento de tecnologia é preciso planejar etapas bem simples que farão toda a diferença no resultado. Conheça-as abaixo.

#1. Defina o foco e objetivo do conteúdo

Essa é a primeira fase e a que vai determinar o sucesso de todo o projeto. Definir o foco é importante pois vai ajudar a esclarecer os objetivos de cada conteúdo:

  • Gerar ou nutrir leads?
  • Reter ou fidelizar clientes?
  • Capacitar?

E mais, entre todos os produtos e serviços que sua empresa oferece, quais serão trabalhados inicialmente e por quais motivos?

Se a empresa possui, por exemplo, 10 soluções com audiências distintas, sua equipe não terá ‘braço’ para escrever sobre todas ao mesmo tempo. E a estratégia será um tiro no pé.

A recomendação é escolher apenas uma ou duas opções e desenvolver o processo de conteúdo. A partir dos feedbacks, do aprendizado tido e dos ajustes realizados aí sim pode-se ampliar para as demais soluções.

A partir da definição dos objetivos da solução escolhida o próximo passo é descobrir quem é a audiência.

#2. Conheça e conquiste a audiência

Conjunto de pessoas interessadas no seu tema: essa é a definição de audiência. Ela deve ser encarada como um grande ativo de longo prazo para sua empresa. Por exemplo: se você fornece software para a área de transportes e logística, a audiência contempla profissionais ligados à este segmento. Escrever e entregar conteúdos que interessem para essas pessoas é o que vai garantir o crescimento de leitores, já que eles mesmos ajudarão a divulgar seu material na rede.

Esse processo de popularização não é instantâneo, mas os ganhos podem ser interessantes quando o tema for exatamente o que sua audiência necessita. E como entregar um conteúdo assertivo? É hora de aprender a definir e detalhar a persona.

#3. Desenvolva as personas

Uma persona é um personagem que simboliza o seu cliente em potencial, com as principais características que envolve comportamentos e hábitos. Ela representa a sua audiência. É necessário que ela seja criada para pensar e avaliar, na prática, quais são as suas necessidades e problemas  — as chamadas dores.

É comum que uma empresa tenha mais de uma persona, até porque ninguém vende para apenas um tipo de público específico. Voltando ao exemplo da empresa de transportes e logística, as três principais personas poderiam ser o gerente de logística, o responsável por TI e o principal executivo da empresa.

O caminho mais assertivo para então definir de maneira correta as personas é fazer perguntas que vão facilitar a compreensão das suas principais características:

  • Maioria de homens ou mulheres?
  • Qual a idade média?
  • Qual o nível acadêmico?
  • Que tipo de informação ela consome e em quais canais?
  • Quais são seus principais desejos?
  • Quais são seus principais desafios profissionais?
  • Quem tem influência sobre as suas decisões?

A partir da obtenção de cada uma das respostas fica mais fácil detalhar o perfil do cliente e materializar a persona, que pode inclusive ter um nome. A realização desse processo facilitará demais o momento da produção do conteúdo, afinal, fica muito mais simples escrever quando se conhece com quem está falando.

#4. Envolva as equipes de vendas e atendimento ao cliente

Os melhores setores onde é possível ter informações preciosas sobre quem é a persona são o de vendas e atendimento ao cliente. São esses times que lidam diariamente com os consumidores da sua marca e sabem na ponta da língua quais os seus desafios. É para esse pessoal que o cliente conta seus problemas, pede ajuda para solucioná-los e fala das suas experiências com o uso das soluções que a sua empresa oferece.

Trazer essas equipes para participar do processo de definição da persona ajuda muito também na escolha dos temas e conteúdos a serem tratados. Você vai perceber que muito dos relatos que o time apresentar serão automaticamente inseridos como sugestões de próximas pautas. Acredite, é a melhor forma de acertar nos assuntos!

Conhecer suas personas e compartilhá-las com os times de atendimento ao cliente poderá inclusive contribuir para as ações de customer experience e onboarding.

#5. Elabore o plano editorial

A partir do momento em que já foram definidas as soluções que pretende focar, quem é a audiência, definiu as personas e conversou com as equipes de vendas e atendimento ao cliente, você já tem em mãos uma gama de informações que permite passar para a próxima e fase: o plano editorial.

O plano editorial é onde você irá estabelecer:

  • Quais serão os temas abordados: No caso do software para empresas de transportes e logística a pauta poderá contemplar temas ligados à tendências, dicas para gestão dos negócios. Além é claro sobre como a tecnologia pode facilitar o dia a dia deste segmento;
  • Os tipos dos conteúdos a serem produzidos: Empresas diferentes possuem necessidades diferentes. O conteúdo que criado tem um papel importante em gerar leads e criar oportunidades para o negócio. Os conteúdos podem ser escritos como posts, ebooks e whitepapers ou gráficos como infográficos e apresentações dinâmicas, entre outros;
  • A linguagem a ser utilizada: Tudo vai depender da persona e do tipo de assunto a ser escrito. Se for um público jovem, a linguagem será mais leve e fluida, caso a persona seja um alto executivo de uma multinacional o conteúdo já deverá ser mais denso e sério;
  • As palavras-chaves escolhidas: Para ser mais eficiente junto aos buscadores, um excelente caminho é fazer um bom uso das palavras-chave. Mas isso não significa repetir incansavelmente o mesmo termo no decorrer do material;
  • A etapa da jornada de compras onde o conteúdo se insere: Cada cliente tem seu momento de compra, dependendo da maturidade ou do timing. Para dar fluxo a essa jornada de compra e de relacionamento com as personas do negócio é utilizado o funil de vendas, ferramenta que divide o processo em três etapas principais: topo, meio e fundo;
  • Canais de divulgação: blog, newsletter, site, LinkedIn, Facebook, Twitter, e-mail, sites de parceiros como instituições, universidades e fóruns sobre o assunto, entre outros.

Com o plano editorial feito pensando nos objetivos e na audiência, fica muito mais simples iniciar a produção do conteúdo e evita a perda do foco. Ah, para não perder nada de vista, você pode (e deve!) montar seu calendário editorial. Assim você controla as datas de publicação dos conteúdos, assim como o que precisa acontecer para que tudo esteja em dia. Veja um modelo que pode ajudar aqui

#6. Produza o conteúdo

Agora sim você tem em mãos tudo que precisava para começar a desenvolver o conteúdo! O importante nessa etapa é conhecer a fundo sobre o assunto que será escrito. Procurar referências e fazer leituras prévias facilita o processo e garante muito mais qualidade.

A escrita deve ser tecnicamente correta, sem erros de gramática, concordância ou pontuação. Não, a internet não aceita tudo, muito menos quando se está no campo da comunicação B2B (business to business). Além disso, o encadeamento lógico das ideias com o formato de introdução, desenvolvimento e conclusão deve ser respeitado sempre para garantir o melhor entendimento da mensagem.

Uma dica útil é reciclar conteúdos em diferentes momentos, até porque os clientes novos conquistados nos últimos meses podem não acessado um conteúdo importante publicado antes. Além de atingir uma audiência ainda maior é a oportunidade para atualizar e inserir novas informações.

#7. Distribua o conteúdo

O conteúdo está pronto, aprovado e o enche de orgulho. O que fazer então com ele? É hora de promovê-lo! No momento de fazer o plano editorial você já definiu em quais canais cada tema será promovido exatamente para não ficar com o conteúdo em mãos pensando sobre o que fazer com ele.

O esforço de definição da divulgação é tão importante quanto o da produção do conteúdo. Afinal, um conteúdo na gaveta nunca vai atingir o objetivo desejado.  

#8. Mensure resultados

O conteúdo foi promovido em diferentes canais. E o objetivo traçado no planejamento, foi alcançado?

A melhor forma de ter esta resposta é medir os resultados. Para isso deve-se usar métricas específicas para cada finalidade. Se o propósito for aumentar o acesso no site da sua empresa, a mensuração de acessos pode ser o número de visitantes únicos e o link de origem das visitas.

No caso do objetivo ser o engajamento a métrica está relacionada ao tempo de permanência no site e em quais páginas. Os comentários nas redes sociais ou blog são mensurações de relacionamento. Quando o objetivo é converter, a métrica pode ser a inscrição do visitante para receber a newsletter ou baixar seu ebook.

Atualmente já existem ótimas soluções para fazer esse processo de mensuração. É por meio dela que você sabe se o conteúdo atingiu o objetivo desejado.

Você pode conferir um modelo de apresentação de resultados aqui . Ela pode ajudar a entender os principais pontos de atenção quanto às medições e resultados do marketing de conteúdo na sua empresa.

#9. Faça as correções necessárias

A melhor decisão que sua empresa pode ter tomado é ingressar na corrida do marketing de conteúdo. Como em todo grand prix é necessário ajustar os motores e escolher os pneus certos conforme a pista em busca da pole position e do pódio, o mesmo acontece no momento de produzir o seu conteúdo.

A mensuração dos resultados junto com o plano editorial compõem a sua equipe técnica. Fique atento às mudanças do tempo, mantenha foco no objetivo final e flexibilidade para ajustes.

#10. Conte com a Motor de Conteúdo

Se mesmo com todas essas dicas de como levar o seu marketing de conteúdo a um próximo nível sua empresa não contar com um time de redatores ou estiver preparada para produzir seu conteúdo, não tem problema.  

Especialmente no segmento de tecnologia é cada vez mais comum contar com fornecedores especializados no segmento para a geração de conteúdo. A Motor de Conteúdo é uma empresa especializada em marketing de conteúdo para empresas de TI, e sabe como a tecnologia transforma os negócios e a vida das pessoas.

Conheça, agora mesmo, o portfólio de serviços diferenciados pensados de acordo com a sua necessidade. Uma parceria com a Motor de Conteúdo pode ser o motivo do seu êxito na geração de novos leads e na fidelização de clientes!

Ou se você preferir montar seu processo de marketing de conteúdo internamente, também pode falar conosco. Podemos lhe ajudar a colocar em prática as dicas dadas aqui e a dar os primeiros passos para colocar sua estratégia no ar.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz