O que é e como fazer curadoria de conteúdo de marketing digital?

O que é e como fazer curadoria de conteúdo de marketing digital?

Exatamente tudo o que você precisa saber para colocar a curadoria de conteúdo em prática e obter bons resultados.

Já parou para pensar que você em algum momento já fez curadoria nas suas redes sociais?  Seja compartilhando artigos no Facebook, citando tweets ou retuitando, compartilhando conteúdos no LinkedIn. Mas, afinal, o que é curadoria de conteúdo?

É basicamente sobre fazer alguma ação com conteúdo, entre todos que existem neste oceano imenso que é a internet. Trata-se de encontrar um conteúdo que você considera relevante e levar para sua rede de contatos de forma organizada.   

Aliás, com a quantidade de produção de conteúdo hoje em dia, pode-se dizer que uma das práticas mais trabalhadas é a de curadoria, independente do site ou rede social. Afinal, todo mundo quer falar sobre aquele assunto que está bombando, não é mesmo? Sites sociais querem se mostrar inteirados nos assuntos do momento e as empresas precisam apresentar-sem inovadoras. A verdade é: ninguém quer ficar por fora!

O problema é que normalmente e, provavelmente, as empresas não estão pensando estrategicamente quando estão fazendo isso, e é exatamente a estratégia de curadoria de conteúdo que faz a diferença entre uma curadoria medíocre ou excepcional nos negócios.

Neste post vamos fazer um compilado de todas as informações possíveis sobre este tema para você ficar por dentro do assunto sem restar uma dúvida.

Mas por que a curadoria de conteúdo se tornou tendência?

Durante anos, a criação de conteúdo digital foi o foco de sucesso do marketing de conteúdo. Aquele que desenvolvesse algum conteúdo em que o seu leitor se identificasse, estava promovendo um excelente marketing de conteúdo para a sua empresa. Desde ebooks e infográfico à textos e vídeos, a ideia de que conteúdo era rei resultou em um boom de conteúdo original pela internet.

No entanto, como tudo na internet muda muito rápido, a quantidade de conteúdo digital começou a crescer de forma incansável e, logicamente, alguns começaram a fazer muito mais sucesso que outros. Tudo, talvez, por uma questão de percepção, olhar, maneira de abordar e que, por consequência, se apresentavam muito mais criatividade e qualidade.

Mas quem quer ficar por baixo, com toda essa situação? Como consequência, muitas empresas, com o objetivo de se destacar frente ao mercado’, começaram a reproduzir o mesmo material em suas páginas, apenas citando a fonte – algumas de fato duplicavam, mas, outras, faziam uma construção em cima daquele conteúdo já existente.

Quer um excelente exemplo dessa prática? Certamente se você está lendo este post, também está conectado nas redes sociais – e costuma olhar com frequência, certo? Nós já citamos em outro post, mas voltamos a falar: se está nessas redes já sabe, muito bem, o que são os famosos ‘memes’ (termo grego que significa imitação ou viralização).

Todos os dias eles surgem em alguma rede social, em forma de humor, e se proliferam em todas de todas as maneiras possíveis. Pode até não ser curadoria estratégia ou formal, mas não deixa de ser curadoria. Já viu aquela pauta do jornal se tornar um texto crítico em algum blog e, de repente, todos os sites possíveis estão falando sobre o assunto? Isso também é curadoria!

Toda viralização começa quando uma página faz a publicação e tem bons resultados de interação. As outras páginas que fazem conteúdo semelhante rapidamente aproveitam e também reproduzem aquilo que fez sucesso. Afinal, ninguém quer ficar para trás, não é mesmo?

E, além de criar uma personalidade ou uma presença digital, existe, antes de tudo, a vontade de se destacar no google. E qual a melhor forma de posicionar-se e chamar a atenção entre tantas opções de informações? Veja só:

Resumidamente, a curadoria é sua melhor grande aliada na batalha diária por mais visualizações!  De fato, essa estratégia até pode ser um bom caminho para quem deseja maior rankeamento no Google. E, vamos encarar, você é apenas uma pessoa. Quais são as chances de que você encontre um conteúdo digital valioso da cabeça todos os dias da semana?  

Até aqui pode parecer uma prática fácil, já que é frequente, mas – pera lá –  você precisa entender que se você tem um objetivo real com seu conteúdo, ele precisa de estratégia, e estratégia diferenciada.

Em poucas palavras: utilizar conteúdo de terceiros ou replicar parte dele não basta. Pode até gerar um determinado número de acessos, mas será que realmente está impactando o público-alvo? Lembre-se: número de acessos nem sempre significa sucesso! Além disso, você precisa saber de onde está pegando o conteúdo – se é confiável e vai trazer credibilidade para seu site.

Se ainda não ficou claro, vamos te ajudar a entender melhor!

O estudoIn News We Trust”, feito em 2018 pela Teads, empresa especializada em soluções publicitárias, entrevistou 16 mil pessoas, sendo duas mil no Brasil sobre seus hábitos de consumo de notícias e a relação com as fake news. O levantamento apurou que:

Percebeu como as pessoas têm dúvidas em quais conteúdos confiar e assim procuram cada vez mais canais de credibilidade? Então, um blog corporativo e também as redes sociais de uma empresa podem ser uma fonte de informação fiel.  

A matemática é simples:

Conteúdos já existentes vindos de veículos conhecidos que é aprimorado, editado e postado + a transparência pela qual a empresa é conhecida =  confiança no que é publicado. Por isso a curadoria de conteúdo está em alta.  

Criar conteúdo ou fazer curadoria de conteúdo?   

O número de páginas indexadas pelo Google cresceu assustadoramente nos últimos sete anos, segundo o instituto de pesquisas Statistic Brain: de um trilhão para 30 trilhões. Já quando o assunto é conteúdo digital produzido em todo o planeta (filmes, livros, músicas, documentos e dados computacionais) uma pesquisa do IDC calculou que serão 44 trilhões de gigabytes até 2020. O que isso quer dizer? 

Como as empresas podem então posicionar-se frente a essa tsunami de conteúdos e melhorar a presença online? A curadoria pode ajudar!    

Vamos falar de Netflix para entender isso? A empresa é um ótimo exemplo da combinação perfeita de curadoria e criação, você já sabe disso, óbvio. Aliás, eles fazem isso melhor do que qualquer um. A entidade tem seu relacionamento baseado tanto com o marketing de conteúdo quanto com as decisões orientadas por dados.

A empresa alavanca a criação de conteúdo quando tem uma ideia e a converte em programação original.  House of Cards é um exemplo de ótimo de conteúdo criado pela Netflix. A empresa investe bilhões de dólares na criação de conteúdo original porque eles entendem o papel que desempenham na geração de novos assinantes.

                                                                                                        (Fonte: Flickr)

Já quando o assunto é curadoria de conteúdo, a empresa busca e licencia conteúdos excelentes desenvolvidos por outros estúdios de produção. Por exemplo, Hartswood Films, BBC Wales e WGBH-TV são os estúdios de produção atrás da série de sucesso Sherlock, mas qualquer um pode assistir se possui conta na Netflix. E, de novo, a empresa investe bilhões nesses contratos e acordos porque eles entendem a importância de dar acesso aos seus assinantes um ótimo conteúdo digital.

(Fonte: Poltrona Nerd)

Do outro lado tem a curadoria automatizada e baseada em algoritmos que é frequentemente usada para criar uma solução “satisfatória” para os clientes. E esse não é só um ponto positivo da Netflix, o famoso Spotfy também adere a este formato. Eles utilizam algoritmos automatizados para personalizar a experiência do usuário.

A curadoria se resume, basicamente, em reunir fontes confiáveis e relevantes para o seu negócio e extrair o melhor dos conteúdos para que seu blog possa ter relevância. Vale lembrar que um conteúdo, por si só, já aborda um conjunto de tópicos que você pode dividir em vários posts – economizando, assim, tempo da equipe de marketing – ou até o seu mesmo.

Algo bem importante é que o seu público irá ficar satisfeito ao ver que você está 100% atualizado nas últimas tendências e conceitos, mesmo que este conteúdo não tenha sido desenvolvido por você.

Por fim, ambas as técnicas valem a pena para um marketing de conteúdo eficaz. Quando você o seleciona, você está reagindo e respondendo ao que os outros estão fazendo. Ao criar conteúdo, você é proativo. Combinar as duas abordagens na sua estratégia marketing digital é sempre a melhor saída.

Ah, e não esqueça de creditar as fontes originais. Se você está se concentrando em fazer a curadoria ou criar um conteúdo, certifique-se de misturar diferentes tipos de produções – e de sempre avisar quem, de fato, o construiu.

Isso não é regra apenas para textos, você pode também interagir com conteúdos atrativos e visuais. Uma mistura de vídeos, questionários, posts no blog manterá seu público interessado. Além disso, monitore seu conteúdo para ver como ele está realizando e analise os resultados para entender o que você pode fazer melhor da próxima vez.

E como planejar a melhor estratégia para minha empresa?

Aproveite o conteúdo “underground“. Curadoria de conteúdo eficaz se destaca por apresentar o que os leitores nunca viram e de uma forma que agrega valor para o seu negócio.

Se você pretende atrair mais clientes para adquirir seu software, por exemplo, pense no quanto o seu prospect ficaria animado em ver um post novo que ninguém nunca ouviu falar e que ainda vai auxiliar a empresa dele.

Compartilhe conteúdo valioso que as pessoas ainda não viram, é bem provável que você vire referência no seu segmento. Para aumentar o reconhecimento da marca você precisa apresentar tendências. Quem não gosta de obter coisas novas que trazem benefícios?

(Fonte: Giphy)

Como colocar em prática a curadoria de conteúdo?

Você pode pensar que a curadoria de conteúdo resume-se apenas a escrever e distribuir. Mas ela vai muito além disso! Para que essa estratégia seja bem sucedida é necessário fazer, como em outras ações dentro do marketing digital, um planejamento.

Depois de decidir o assunto que você quer abordar e de ter encontrado a fonte ideal, é hora de selecionar o conteúdo digital. Analise e verifique se ele é realmente útil, rico e oportuno o suficiente para capturar a atenção do seu público-alvo. Agora, aprofunde as perguntas com base no que você encontrou:

  1. Ele é relevante? O conteúdo até pode fazer sentido com o seu segmento, mas ele, de fato, vai ensinar algo ao seu público-alvo? Existe, dentro alguma informação que eles desconhecem e que será útil a eles?
  2. A fonte tem credibilidade? Não adianta ter um bom conteúdo se a fonte que o disponibiliza não é confiável no seu segmento. Além de não trazer resultados, pode trazer prejuízo. Lembre-se sempre: blogs e publicações de má qualidade pode fazer você parecer spam e resultar e perda de atenção do público.
  3. O conteúdo apresenta ponto de vista diferente? O conteúdo, apesar de ser curado, não precisa apenas afirmar aquilo que já está escrito em diversos blogs, ele pode, além de reafirmar convicções, incentivar discussões, apresentando tópicos diferentes. De novo, você sai à frente sabendo tudo sobre o assunto!
  4. É único? – Seu conteúdo precisa ser novo e precisa fornecer ao seu público-alvo novas informações que ainda não encontraram em nenhum outro lugar.

Aí é só publicar – usar e abusar das redes sociais para promovê-lo. Como você pode perceber, a curadoria é muito mais do que apenas compartilhar conteúdo. Ela é, antes de tudo, uma excelente estratégia para que você alcance o seu público-alvo da maneira mais certeira possível.

Óbviamente esta estratégia não substitui o conteúdo original, mas ainda assim pode ser de alta qualidade e atrair muito mais contato. Com a curadoria de conteúdo, você encontra o conteúdo mais relevante em seu setor e o apresenta ao seu público. Por sua vez, você e sua empresa se tornarão uma fonte confiável e informada que fornecerá as informações mais úteis para o mercado.

Como resultado, você construirá o reconhecimento de sua marca, se tornará um líder de pensamento e ganhará credibilidade graças ao seu público-alvo.

EXEMPLOS DE CURADORIA QUE FIZEMOS AQUI NA MOTOR

  1. Transformar um conteúdo disponível em novo formato explorando as informações mais importante: Um exemplo aqui é um vídeo em inglês relativamente longo sobre Internet Industrial – entenda de que forma você já faz parte dela que foi transformado em um post com os dados mais importante e permitindo uma leitura mais rápida e indexação no Google já que possui texto e palavras-chave.
  2. Transformar os dados e conteúdo em informação visual: Uma outra alternativa é usar um conteúdo às vezes muito longo e apresentar conteúdos de maneira visual, como um infográfico. Aqui um exemplo de uma curadoria que fizemos aqui com dados de mercado da Cisco, como o material era muito longo, fizemos uma versão visual e bem objetiva.
  3. Unificar dados similares em um único material: Por exemplo, curar eventos do segmento contábil e colocar todos os dados em um único calendário como este aqui também é uma forma de curar conteúdo.
  4. Resumo da semana/mês/ano/evento: Fazer um conteúdo com resumo do que aconteceu sobre determinado assunto dará ao leitor uma fonte única de informação sobre o tema sem que precise ler em diferentes fontes. Assine a nossa news e veja na prática como funciona.

ATENÇÃO – NÃO É CURADORIA:

  • Publicar conteúdo de outra fonte na íntegra não é curadoria, é compartilhamento, e deve estar disponível o link para o conteúdo original.
  • Colocar o link de um conteúdo publicado no seu conteúdo produzido originalmente não é curadoria, é citação de outra fonte que complementa ou valida a informação que seu conteúdo entrega, ou seja, é backlink.   

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz