No mar de dados, você oferece conteúdo que conecta ou é só mais um?

No mar de dados, você oferece conteúdo que conecta ou é só mais um?

Construir um conteúdo que conecta significa produzir conhecimento original, relevante e especializado.

Não existe fórmula mágica para encantar consumidores e automaticamente convertê-los em clientes. Por isso o marketing digital é feito de jornadas, blogs, Inbound, Outbound. Você fez tudo isso, não teve resultados, quer apelar para a providência divina, mas ainda não avaliou se oferece conteúdo que conecta.

Assim fica mesmo – cada vez mais – difícil conseguir resultados!

No mundo digital, o conteúdo produzido pelo marketing tem se tornado uma forma de conhecimento. Usar metodologias claras de produção, curadoria e apuração de resultados além da estratégia do marketing digital como um todo, são ingredientes necessários para que a receita dê certo. Afinal de contas, você tem dois leitores muito exigentes: o lead, seu potencial cliente e o Googlebot.

Suas estratégias precisam ser pensadas com base na ideia de que o conteúdo  deve se conectar com o leitor, que precisa de informação precisa e que de alguma forma possa ajudá-lo.                                   

Chega de acreditar que seu leitor vai gostar de qualquer conteúdos ou que produções que respeitam as regras de SEO são suficientes.

Post para blog, por exemplo, são vistos como uma forma de criar volume, frequência e relevância para a leitura do Googlebot. No entanto, algumas regras como uso repetitivo de palavras-chave, por exemplo, podem cansar o lead com quem você tanto quer se conectar.

Pensando em tudo isso, na sua cabeça devem pairar alguns questionamentos. Como reconhecer um conteúdo que conecta? Por que essa é a missão de todas a produções de marketing digital? Quais informações interessam mais?  Como construir relevância e confiabilidade?

Vamos pensar sobre todos eles a seguir!

Como reconhecer um conteúdo que conecta

Se um conteúdo tem a capacidade de conectar, esteja certo de que ele é primeiramente singular. Isso mesmo: é regido pela originalidade e lidera tendências.

Você mostra que conhece e é especialista na sua área em todos os conteúdos? Seus conteúdos ajudam a resolver problemas? Seus conteúdos ampliam o aprendizado de quem os consome?

Então, provavelmente o lead desejará se conectar a você para contar com boas referências. Isso porque, reconhece que a sua empresa tem propósitos parecidos com os dele próprio e pode ajudá-lo a vencer desafios, dos mais simples às dores mais complexas. É assim que se forma o engajamento.

Digamos que você tenha um lead engajado, que já tenha entrado em várias jornadas de conteúdo, mas ainda não tenha estreitado relações. Esse consumidor assíduo do seu blog ainda não está no momento de decisão, mesmo que tenha chegado ao fundo do funil.

Connectar-se a tal lead significa compreendê-lo além da persona. Ou seja, quer dizer trabalhar técnicas como a do ABM (Account Based Marketing) e criar produções mais direcionadas e personalizadas.

Um conteúdo que conecta pode, então, ser reconhecido por quatro características principais:

  •   Especialização
  •   Personalização
  •   Aprofundamento
  •   Originalidade

Conteúdo existe para conectar

A missão de todas a produções de marketing digital, no fim do dia, é conectar pessoas com a sua marca.

Pense nas suas redes sociais. Nelas você se conecta a dezenas de pessoas, mas mantém contato apenas com meia dúzia. É porque conexões de verdade acontecem quando os propósitos e momentos de vida são semelhantes ou quando faz sentido que o contato ocorra.

É isso: você tem que criar situações para estar sempre perto de quem lhe interessa.

Para mandar mensagem a algum amigo, você precisa de um motivo que tenha significado. Em suas redes pessoais, você inventa um motivos para estar em contato com quem deseja. Com o conteúdo da sua empresa, não pode ser diferente. Afinal, do outro lado, são pessoas.

Você deve criar motivos interessantes para manter os leads por perto!

O conteúdo é a melhor forma de desenvolver motivos para que um futuro cliente mantenha contato. Isso porque, produções informativas podem tomar corpo no seu site, no seu blog e até em eventos de que sua empresa organize ou participe.

Então, organize um webinar como motivo para convidar sua base de contatos a conhecer novas funcionalidades da sua solução. Falar sobre tendências interessantes, uma pesquisa que sua empresa fez e é de interesse do seu público alvo ou explicar um novo conceito podem ser assuntos relevantes. Conhecendo bem a persona, você conhecerá bem seus interesses.

Informação de valor conecta

Todos nós consumimos conteúdos. E o senso comum nos mostra que as informações que mais interessam são aquelas bem construídas e embasadas. Quando encontramos uma informação de valor, fazemos downloads, damos print, salvamos páginas em PDF no modo impressão, copiamos links.

Compartilhar com outras pessoas a informação é consequência da relevância que ela tem no nosso dia a dia e de como ela nos conecta ao mundo e às pessoas.

Todo mundo sabe, por senso comum, que vivemos a era da fotografia. Mas nada como afirmar isso e trazer uma fonte para comprovar nossos argumentos.

  • 52% das pessoas compartilham mais fotos.
  • 40% preferem consumir fotografias.
  • 37% dos usuários do Instagram preferem a leitura do feed a assistir stories

Fonte: Pesquisa Hábitos de Consumo 2018, elaborada pela Contentools e pela Opinion Box

Por isso, pesquisas são tão importantes na construção de um conteúdo que conecta, pois elas comprovam aquilo que seria apenas uma experiência ou opinião.

Aliás, a busca por embasamento se tona cada vez mais relevante em um mundo inundado pelas fakenews.

Seja confiável em um mundo de fakenews

O que define as fakenews é a mentira. Elas são conteúdos elaborados para informar, mas acabam desinformando o leitor por apenas propagarem opinião sem metodologias de checagem e apuração. Sobra para o lead tomar a decisão de confiar ou não nas informações.

Como são um fenômeno recente, ainda estão em construção os mecanismos de prevenção e correção contra as notícias ou conteúdos falsos.

A Pesquisa Hábitos de Consumo 2018 também comprova que 42% dos usuários das redes sociais já compartilharam conteúdos falsos antes de checar a veracidade deles. Dessas pessoas, quase metade (49%) apenas apagou a postagem, sem desmentir os dados falsos.

O correto a ser feito neste caso é desmentir a publicação e mantê-la no ar com as informações corretas. Veículos jornalísticos tratam seus próprios erros por meio das erratas e alertam ao leitor que o material foi editado. O que serve de exemplo tanto para o marketing de conteúdo quanto para nossas redes sociais pessoais.

Ser relevante em um mar de informações falsas é questão de metodologia e técnica. É assim que uma produção qualquer se torna conteúdo que conecta, ao reforçar sua credibilidade por meio da checagem, da escolha de boas fontes e do tratamento correto de informações falsas.

Quando você encontra uma agência de conteúdo capaz de elaborar esse tipo e material, ou seja, conteúdo que conecta, percebe que ela também é conectada. Tem parceiros de confiança dentro do seu nicho de mercado, é especialista em tipos determinados de produção e produz conhecimento.

A sua empresa também pode desfrutar disso ao buscar contato com parceiros de sucesso. Foi isso que a Hook Digital e a Motor de Conteúdo fizeram para se conectar a vários clientes. A parceria entre as agências de Inbound e de conteúdo mostra que o comarketing é um dos caminhos do conteúdo que conecta.

Quer saber como montar uma parceria? Acesse esse modelo clicando aqui.

Mas, e você, que conteúdo lhe conecta ao mundo? Fala para a gente aqui nos comentários!

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz