Inbound Marketing: como reduzir a taxa de rejeição do seu blog?

Inbound Marketing: como reduzir a taxa de rejeição do seu blog?

Bounce rate, ou taxa de rejeição, do site ou blog assusta qualquer profissional de marketing. Afinal, subentende-se que as pessoas que acessam seu portal estão rejeitando seu conteúdo. Mas como veremos a seguir, não é bem assim.

O bounce rate é uma das métricas mais utilizadas para analisar a eficácia de ações de inbound marketing. Trata-se de uma porcentagem que aponta a quantidade de leitores que visitaram uma única página do seu site e, em seguida, saíram. Ou seja, toda vez que alguém entra em seu site e acessa somente uma página, não dando sequência à navegação, é registrada uma rejeição. Por exemplo, se 100 pessoas acessaram seu site e 60 delas saíram já na primeira página que visitaram, sua taxa de rejeição será de 60%.

Não confunda: bounce rate não é taxa de saída. Taxa de saída indica a quantidade de pessoas estão deixando o site a partir de uma página específica, independentemente dela ser a primeira página acessada na navegação ou não.

É importante lembrar que uma alta taxa de rejeição não significa que o conteúdo é de baixa qualidade. Uma métrica mais interessante para avaliar a qualidade e o interesse de seu leitor pelo seu conteúdo é o tempo médio que os visitantes gastam em seu site.

Porém, se o bounce rate não serve como indicador preciso da qualidade de determinado site, serve ao menos para apontar sua habilidade em interligar seus conteúdos, atrair seus visitantes e, o mais importante, gerar conversões.

Logo, se seu site vem apresentando um bounce rate elevado, não é motivo de pânico. Provavelmente não será necessária nenhuma modificação drástica em sua estratégia de marketing digital, somente alguns ajustes aqui e ali para reter seus visitantes. Mas antes, é preciso saber um pouco mais sobre a métrica, para então tomar atitudes para reduzir estes números:

Bounce rate aceitável: primeiramente, é preciso saber se sua taxa de rejeição é realmente alta. É impossível chegar a uma conclusão sem comparar com o bounce rate de outras empresas do seu segmento, não é mesmo? O Google Analytics é uma ferramenta que pode ajudar nessa tarefa. Lá, existe a possibilidade de comparar os números do seu site com as estatísticas de sites similares. O Analytics apresentará, também, uma porcentagem média do seu site em relação aos demais.

Para ter acesso a essas informações, basta clicar na barra esquerda do menu, na opção “Público-alvo”  e depois em “Comparação de marcas”. Feito isso, terá acesso a uma série de gráficos comparativos. Caso suas porcentagens estejam verdes e seu site se apresente acima da média, é um bom sinal. Veja como é feita essa navegação na prática:

Google Analytics bounce rate

Google Analytics bounce rate

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Também é possível fazer uma análise mais profunda destes dados. Por exemplo, é uma boa dica observar a taxa de rejeição de acordo com suas fontes de acesso. Por exemplo, pode se comparar o tempo médio que os visitantes gastam em seu site ao chegaram por determinada postagem publicada no Facebook e comparar com o tempo dedicado pelos que chegam por meio de algum anúncio com título mais abrangente. Dessa forma, é possível avaliar cada um doa canais e os resultados que têm trazido para sua estratégia de marketing digital.

Pode-se também mensurar a taxa de rejeição de acordo com as palavras-chave pesquisadas. Essa métrica pode ser aplicada tanto para os visitantes oriundos de buscas orgânicas quanto de buscas pagas, patrocinadas no Google AdWords, por exemplo.

O que pode estar elevando sua taxa de rejeição e como reduzi-la: minha taxa de rejeição está mais alta que a dos meus concorrentes, e agora? Isso pode estar acontecendo uma série de fatores. O próximo passo é, portanto, diagnosticar os problemas que têm elevado seu bounce rate e quais medidas podem ser tomadas.

  • Estrutura de texto: entregue rapidamente a informação que o leitor procura em seu conteúdo. Isso pode ser feito negritando algumas vezes as palavras-chave e as partes mais relevantes do texto, evitando blocos de textos muito extensos e cansativos. Subtítulos e bullets também tornarão a leitura mais rápida e organizada.
  • Layout: um bom layout, além de transmitir segurança e credibilidade ao leitor, também facilita a navegação e poupa seu tempo. Contudo, ele deve também ser eficiente, orientado sempre pelo seu conteúdo, de modo que o complemente e esteja alinhado aos temas que sua empresa deseja abordar. Gráficos, citações destacadas de especialistas, e imagens ajudam a enriquecer suas entregas, melhorar o visual e oferecer uma navegação mais prazerosa.
  • Popups: sabe quando você está navegando em determinado site e de repente brota em sua tela uma nova janela, convidando você a comprar algum produto ou serviço? O nome disso é popup e alguns deles inclusive ativam áudios. Apesar dos questionamentos a respeito da ferramenta, ela ainda está em alta e apresenta bons resultados quando se sabe usar. Certifique-se de que seus popups não são invasivos e que o botão “fechar” está sempre habilitado. Uma boa dica é delimitar os dias e as páginas que ativaram os popups. Dessa forma, ele só aparecerá nos dias escolhidos e nas páginas selecionadas, garantindo que o leitor não o encontrará a cada página que acessar.
  • Relacionamento entre conteúdos: o ponto mais importante, quando falamos de redução do bounce rate, é relacionar seus conteúdos, de modo que o leitor tenha facilidade para acessar outras páginas do seu site durante a navegação. Isso pode ser feito destacando, no decorrer do texto, palavras que estão anexadas a outras peças de conteúdo. Por exemplo, ao falar sobre marketing de conteúdo em determinado texto, aproveite para fazer um link para outro conteúdo que trate um tema relacionado, como a importância de utilizar a persona em todas as áreas de sua empresa.
  • Call to action: os CTAs são “anúncios” de outros materiais de seu site. Seu propósito, além de relacionar conteúdos, é dizer ao leitor o que fazer em seguida. Os CTAs devem ter um layout caprichado e um texto que pode ser lido em três segundos ou menos, convencendo seu leitor a clicar nele e prosseguir a navegação a outras páginas do seu site. Por exemplo, nosso cliente Máxima Sistemas produziu um call to action super atrativo:CTA marketing digital bounce rate

Dessa forma, percebemos que estar com uma alta taxa de rejeição, especialmente no início de uma estratégia de marketing digital não é necessariamente desesperador. Basta alguns ajustes e um pouco de paciência para reverter este quadro e impulsionar o engajamento de seus leitores com a marca.

marketing de conteudo roi

Veja Também:

Veja dicas de como oferecer conteúdo interativo Fazer o leitor interagir com o conteúdo ajuda a aumentar o engajamento. Veja dicas de como implantar essa ferramenta em sua estratégia de marketing de...
Os desafios de escrever sobre tecnologia no marketing de conteúdo Capacidade técnica, bagagem de conhecimento, atualização e sensibilidade formam um bom redator para o marketing de conteúdo da sua empresa de tecnolog...
Gamification: o que é, como aplicar e quais os resultados? Para compreender sua importância para captar novas oportunidades no mundo dos negócio, é preciso entender o momento que vive o marketing digital. Voc...
Growth Hacking nas Startups: como aplicar a estratégia e acelerar seu crescimento Mesmo diante de um cenário promissor e favorável, onde o número de startups cresce a cada ano, é importante investir em estratégias que auxiliam na ac...

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz