Big Data: qual a importância para sua estratégia de Inbound Marketing

Big Data: qual a importância para sua estratégia de Inbound Marketing

Não é de hoje que engajamento é um dos pilares do universo do inbound marketing, e ainda mais importante que atingir sua persona, é como você chega até ela e o impacto que sua mensagem vai causar. Nesse sentido, não surpreende que a análise ordenada e aplicação de Big Data esteja tão valorizada nos últimos tempos: para engajar, é preciso personalizar.

Entenda em um minuto: o que é Big Data?

Big Data é um conjunto gigantesco de dados. Estes dados armazenados, sejam eles internos ou externos, se sustentam em três pilares:

Volume: refere-se à grande (imensa!) quantidade de dados;

Velocidade: refere-se a criação de novos dados na internet a cada segundo;

Variedade: indica que esses dados se originam de formas muito variadas, como redes sociais, e-commerce, blogs, entre outros.

A união desses três pilares permite a análise de informações públicas de dados estruturados – quando se conhece a estrutura de armazenamento daquele contexto; assim como não estruturados, como imagens, vídeos e áudios, por exemplo. Sua importância, no entanto, não está relacionada à quantidade de dados envolvidos, mas sim na utilidade e no valor destes dados para o seu negócio, levando para a empresa informações que pode direcionar de forma muito mais assertiva estratégias para novos serviços e produtos, por exemplo.

Três exemplos para mostrar que Big Data está mais presente na sua rotina do que você imagina:

Youtube: embora você nem pense nisso na hora, todo vídeo que você abre no Youtube está armazenado em uma porção de bancos de dados relacionais. Deste modo, a plataforma é capaz de lhe oferecer, ao fim da exibição, uma diversidade de conteúdos relacionados à sua pesquisa, aumentando as chances de permanência no site.

Netflix: o modo como opera o algoritmo da Netflix é ainda mais curioso. Você já se baseou nas notas cadastradas para cada filme na hora de se decidir entre um e outro? Pois saiba que o número de estrelinhas cadastrados em cada filme não é uma classificação global, mas sim um indicador da própria Netflix, “adivinhando” o quanto aquele filme pode ser relevante para você. Loucura? Não, análise de dados. O algoritmo da Netflix leva em consideração informações como gêneros e subgêneros que o usuário costuma assistir, as notas dadas por ele para cada filme, tempo de permanência, entre outros. Com estes dados, a Netflix consegue indicar quais filmes são mais compatíveis aos seu gosto, reduzindo as chances de que você procure por algo parecido com “O Poderoso Chefão” e vá parar em  um filme de comédia do Adam Sandler.

Spotify e Deezer: imagine que você esteja ouvindo uma música no rádio, no carro, e acidentalmente não consegue prestar atenção, ou compreender o inglês forçado do apresentador quando ele anuncia as músicas tocadas no último bloco. Você já deve ter passado por isso alguma vez, não é mesmo? No entanto, você gostou muito daquela música, e agora não faz ideia de como ouvi-la novamente, por não conhecer o cantor, nem o título. O algoritmo do Spotify e do Deezer, serviços de streaming para música pode ajudar em muito. Cada música que seu perfil reproduz é registrada em um banco de dados e combinada com outras músicas relacionadas. Assim, ambos os serviços conseguem oferecer sugestões mais assertivas e correspondentes ao seu gosto e estilo e musical.

Vídeos, cinema, séries, músicas. São exemplos de serviços distintos, com finalidades distintas e conteúdos mais diferentes ainda. O que eles têm em comum? Conteúdo relevante e personalizado. Não há a menor sombra de dúvidas do sucesso destes cases apresentados, certo? Com a análise de Big Data, todas estas empresas atingiram grandes resultados, engajando seu público e se tornando referências para os seus respectivos segmentos de atuação.

Aplicando Big data no inbound marketing

Até aqui, já foi possível entender que conteúdo personalizado dá muito certo e pode fazer a diferença na sua empresa. No entanto, como Big Data se aplica ao seu negócio e sua estratégia de inbound marketing?

Mineração de dados: grandes empresas, que lidam com um volume de dados imenso, ou seja, atendem um grupo numeroso de pessoas e capturam delas informações ainda mais numerosas ainda, devem considerar a adesão de um software que permita a mineração de dados. A partir de um diagnóstico de padrões comportamentais, é possível segmentar seu público de modo mais assertivo e automatizado, focado na personalização do conteúdo e da experiência do usuário/consumidor.

Estudos comportamentais do consumidor: estude como seu consumidor se comporta, que tipo de conteúdo ele costuma consumir, o que ele descarta, e o que compartilha com mais pessoas. Este estudo possibilita que a empresa se aprofunde em suas personas e crie conteúdo melhor direcionado e com maiores chances de conversão e engajamento. Este estudo pode se dar, por exemplo, pelo tempo que seu lead permanece em sua página, se ele acessa novas guias, abertura de e-mails, download de arquivos, etc. Tudo isso é informação que, se estruturada e bem organizada, pode render bons frutos ao seu negócio.

Segmentação de leads: uma forma de estruturar essas informações é segmentar seus leads. Imagine que cada lead é uma pecinha de Lego, onde cada cor corresponde a um cargo, e cada formato das pecinhas corresponde a um nível de intensidade de interesse. Guardando todas pecinhas vermelhas em uma caixinha, as azuis em outra, e as amarelas em outra, fica mais fácil de encontrar o que deseja, não é mesmo? Com os leads segmentados por níveis de interesse, cargo, área de atuação, entre outras classificações, sua empresa ganha em personalização de conteúdo e engajamento.

Big Data é uma palavra relativamente recente no vocabulário do profissional de marketing e vai, aos poucos, sendo digerida pelo mercado e aplicada em diferentes negócios e segmentos distintos. O sucesso de sua aplicação vem para mostrar que conteúdo personalizado e de relevância para a persona é o caminho mais assertivo para uma caminhada de sucesso.

CTA_Ebook (1)

Veja Também:

Gamification: o que é, como aplicar e quais os resultados? Para compreender sua importância para captar novas oportunidades no mundo dos negócio, é preciso entender o momento que vive o marketing digital. Voc...
Marketing para startups: organize seu conteúdo com calendário editorial Todo profissional de que trabalha com marketing para startups já deve ter se deparado com algumas dúvidas na hora de preparar conteúdo e publicá-lo. Q...
Infográfico: Caminhos do Marketing de Conteúdo nas empresas de TI Infográfico gratuito para você iniciar os caminhos do marketing de conteúdo de forma eficiente na sua empresa de tecnologia! Preparamos um conteúdo m...
Como fazer uso espetacular das palavras-chave no seu conteúdo? Veja como explorar o uso das keywords conscientemente no seu texto e ajudar o buscador a encontrar você na rede! Palavras Chaves Você produz cont...

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz