Buyer Persona: conhecê-la é essencial para o seu Marketing de Conteúdo

Buyer Persona: conhecê-la é essencial para o seu Marketing de Conteúdo

Uma empresa de tecnologia interessada em investir em inbound marketing precisa saber em quem focar sua estratégia, traçando um perfil do seu cliente ideal. Nesse momento, é muito importante ter em mente que persona e público-alvo são conceitos diferentes. Contudo, é comum que profissionais da área ainda desconheçam suas diferenças e pensem que é tudo a mesma coisa. A buyer persona é fundamental no desenvolvimento de uma estratégia de marketing de conteúdo e sua falta impacta negativamente no resultado de suas ações.

Público-alvo é um grupo abrangente de pessoas, com algumas características, comportamentos e necessidades em comum. Por exemplo, jovens entre 20 e 26 anos, cursando ensino superior, com renda mensal de 2 mil reais. Bastante superficial, não é mesmo?

Por sua vez, criar uma persona é construir um personagem fictício que personifique aquele público-alvo abrangente e confuso. Assim, é como se pusesse uma lupa sobre o público-alvo, conhecendo com maior profundidade suas dores, particularidades e interesses. Veja por que esse trabalho de reconhecimento do seu cliente ideal é essencial para sua estratégia de inbound marketing:  

# 1 Conhecimento do cliente: é uma velha máxima que se ouve desde o surgimento do marketing: conheça seu cliente. Apesar de antiga, ninguém conseguiu, até hoje, contrariar sua importância. Conhecer o cliente é mesmo fundamental, e a construção da buyer persona enriquece o olhar que se tem sobre as pessoas que consomem seu conteúdo. Por exemplo, uma empresa de tecnologia especializada em desenvolvimento de aplicativos pode descobrir, durante o processo de criação da persona, que uma das principais dores do seu cliente está relacionada à falta de organização na gestão e produzir um conteúdo direcionado à soluções que contemplem suas necessidades.

# 2 Atingi-los assertivamente: uma das grandes vantagens de se construir a buyer persona é que seu conteúdo terá um norte. A persona funcionará como guia do seu trabalho. Por exemplo, a mesma empresa citada acima, especializada em criação de aplicativos, criou uma persona com o nome de Camila. Ela tem 42 anos e é gerente comercial. A partir daí, sabe-se que será necessário uma linguagem mais formal, com mais dados e estatísticas para se comunicar com a persona. Caso contrário, seu conteúdo será descartado.

# 3 Economia: basicamente, construir uma buyer persona evita com que sua empresa desperdice tempo e dinheiro produzindo conteúdo para uma massa abrangente e desinteressada. Assim, direcionar o material à um público específico com maiores chances de continuar consumindo seu produto.

A criação da persona deve ser baseada no cliente típico da empresa, levando em conta dados analíticos, não palpites. Ou seja, exige muita pesquisa, entrevistas com clientes e estudos sobre quem consome seu material. Se precisar de ajuda na construção da sua buyer persona, conte com a Motor de Conteúdo, será incrível participar desse grande passo ao seu lado!

Veja Também:

Por onde começar a estruturar o Marketing de Conteúdo nas Startups?   Antes mesmo de possuir uma versão beta do seu aplicativo no ar, a Mint, uma startup de finanças pessoais, conquistou mais de 20 mil pré usuá...
Marketing de Conteúdo para turbinar o seu Endomarketing Digital Com um cenário altamente concorrido na busca de novos talentos, no qual além de tudo há uma grande rotatividade de funcionários, o desafio do gestor d...
Posicionamento orgânico no Google: você já entendeu como funciona? Um grande número de acessos entrando no site por meio de buscas orgânicas é o desejo de todo profissional de marketing. Afinal, que gestor de marketin...
Orçamento reduzido? Invista em estratégias de Marketing de Conteúdo! Lidar com o orçamento de marketing reduzido não é uma novidade para os profissionais de marketing, especialmente em tempos de crise político-econômica...

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar

wpDiscuz